FAQs

As respostas às perguntas mais frequentes

Sim, os beneficiários podem realizar as atividades de forma on-line ou mista (virtual e presencial). No caso de combinarem ambas (presencial e virtual) a duração não pode exceder o número de dias máximo previsto no Guia do Programa de 2020 para este tipo de atividades.

Tal como nas atividades presenciais, o beneficiário tem de reunir evidências, comprovativos da presença e do número de participantes da atividade virtual.

Para a atividade virtual é pago por participante, 15% dos custos unitários para o “Individual support”.


Sim. Tal como nos eventos presenciais, a organização deve identificar os participantes das atividades virtuais e fornecer evidências do número de participantes. Quando estas reuniões se realizem virtualmente o beneficiário apenas receberá 15% dos custos unitários correspondentes aos “local participants”, até ao máximo de 5000€ para toda a duração do projeto.


Sim. No entanto se essas reuniões transnacionais forem feitas virtualmente o beneficiário não tem direito a receber os custos unitários para essa atividade. O financiamento para “Project management and implementation” deverá cobrir os custos com essa atividade virtual.


Sim, ambas as atividades e os respetivos conhecimentos e aptidões adquiridos devem ser identificados no respetivo certificado de reconhecimento e validação de competências.


Sim, a VAP poderá ser implementada de forma virtual, no entanto, nestes casos não haverá lugar a financiamento para esta atividade. Contudo, a verba que estava inicialmente aprovada para a VAP presencial poderá ser transferida para outras rúbricas orçamentais ou atividades, se necessário e devidamente justificado.


Nos dias das atividades virtuais, o beneficiário recebe apenas 35% do valor unitário correspondente ao apoio organizacional por dia.


No caso de alterarem para atividades mistas, a atividade presencial tem de ter pelo menos o número mínimo de dias elegível previsto no Guia do Programa de 2020.

A duração máxima da atividade não pode exceder o número de dias máximo previsto no Guia do Programa de 2020.

Podem ainda, e apenas em casos de força maior, reduzir a duração da atividade presencial ou cancelá-la e substituí-la por uma extensão da duração da atividade virtual.


Se não for implementada nenhuma atividade presencial no projeto, as organizações não têm direito a receber o valor atribuído para os custos com as viagens.


Se não for possível adiar a atividade, mesmo que a duração do projeto seja prolongada, poderá ser solicitada a alteração para realização de uma atividade virtual. Esta situação tem de ser devidamente justificada e comunicada à Agência Nacional.


Podem ser reembolsadas as despesas de viagem que não foram cobertas por outros meios (e.g., seguro, agência de viagens, companhia aérea, outras fontes de financiamento). Esta situação terá de ser devidamente descrita em relatório final acompanhada da respetiva fatura e comprovativos que demonstrem que foi solicitado o reembolso das despesas em questão e que as mesmas não foram reembolsadas ou reembolsadas parcialmente.


  • 1
  • 2
  • Página 1 de 2
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização Está a usar um navegador desatualizado. Por favor, actualize o seu navegador para melhorar a sua experiência de navegação.